Cardeal Marco Antônio Barbarigo

Há mais de 300 anos a caminho da Santidade

O Cardeal Marco Antonio Barbarigo, nasceu em 06/03/1640, em Veneza, Itália. Bem cedo deixou transparecer sua santidade através da caráter manso e devoto que transparecia em semblante. Aprendeu a cultivar no coração o temor de Deus e a caridade para com o próximo. Não desperdiçava nenhuma ocasião que lhe fosse apresentada para aconselhar os ignorantes e instrui-los nas coisas de Deus. Sentia que Deus o havia destinado a ser guia das almas ao céu e para este fim o havia enriquecido com um ardor verdadeiramente apostólico.

Quando era adolescente suportava com paciência os companheiros insolentes e
indisciplinados. Repreendia-os quando ofendiam a Deus com qualquer blasfêmia.

Chamado ao sacerdócio, foi uma estrela no céu eclesiástico. Dedicou especial
cuidado às Celebrações Eucarísticas, que presidia com o maior fervor
possível, após longa preparação feita no silêncio do seu oratório.

Quando era Monsenhor, foi nomeado superintendente geral das Escolas da Doutrina
Cristã e tornou-se incansável na sua dedicação e zelo por cada uma dessas escolas.

Foi também nomeado Arcebispo de Corfú em 23/05/1678. E, logo em seguida,
Cardeal da Arquidiocese de Corfú. Tomou como modelos para seu episcopado, São
Carlos Borromeu e São Francisco de Sales e como protetor, São Miguel Arcanjo.

Fez sua opção preferencial pelos pobres e dedicou-se a eles com obras extraordinárias de caridade para poder mais facilmente ajudar suas almas. A todos prestava socorro e ajuda e, onde não tinha fácil acesso, recorria às autoridades locais. Conseguiu, mais de uma vez, libertar da prisão alguns miseráveis que estavam cumprindo pena, como hábil maneira para melhor conduzi-los a uma mudança de costumes, aliviando assim também suas famílias. Por este motivo, conhecendo todos a influência do Arcebispo, recorriam a ele em busca de alívio para as suas desgraças, para obter um emprego, ou qualquer outra necessidade.

Marco Antonio Barbarigo mostrava-se sempre consciente de que devia ser Pai e Pastor daquele povo. Por isso, entrava em fétidas prisões e atendia aos encarcerados, dispondo-os a se tornarem dignos dos Sacramentos e deixando impressos na dureza daqueles corações os mais vivos sentimentos de contrição. Preparava-os assim para aceitar, com resignação, as duras provações a fim de poderem expiar suas próprias culpas e merecer o Paraíso.
Sentava-se no chão, ao lado dos condenados, sem se importar com o mau cheiro e
a imundície ali existentes.

Demonstrava grande interesse pelos condenados, como se fossem seus irmãos mais
queridos. Muitos daqueles miseráveis, comovidos por tanta caridade e zelo, abriam suas consciências e faziam humildemente a confissão de seus crimes. O Arcebispo os consolava, explicando-lhes a misericórdia de Deus e dava-lhes a absolvição e a comunhão.

Não faltaram ao Arcebispo comentários, críticas e censuras por sua heróica caridade, mas o Santo os deixava falar, dedicando-se ainda mais na prática do bem.

Fundou o Seminário ao constatar que o Clero não possuía a necessária doutrina e dedicou-se, com todo coração, em dar-lhe o necessário remédio. Ao realizar tais obras, quando lhe faltavam recursos, colocava-se sob a proteção da Virgem Maria.

Suportou duras provas, como ouro no cadinho, foi perseguido e reduzido à extrema pobreza.

Fundou o Instituto das Mestras Pias Filippini, nomeando Lúcia Filippini como Diretora de todas as Escolas da Diocese.

Na manhã de Pentecostes, dia 26 de maio de 1706, foi-lhe ministrada pelo pároco de Montefiascone, a Extrema Unção. Às 10:30 h., assistido por um bom número de sacerdotes e leigos, morre o fiel Pastor, entre lágrimas e muitas orações.

Faleceu aos 66 anos, tendo prestando serviços pastorais, durante 28 anos, e como Cardeal por vinte anos.

Em suas mensagens, o Cardeal Marco Antonio Barbarigo dizia: “O verdadeiro Pastor deve afadigar-se, visitar e alimentar suas ovelhas e velar por elas!”

ORAÇÃO PARA A GLORIFICAÇÃO DO SERVO DE DEUS
MARCO ANTONIO BARBARIGO

Ó Santíssima Trindade, nós te suplicamos
fazer resplandecer da glória dos Santos, aqui na terra,
o Cardeal Marco Antonio Barbarigo, teu servo fiel,
que dedicou toda a sua vida
pela difusão do Reino de Deus e pela causa do homem.
Concede-nos, por sua intercessão,
a graça ...........................................,
que, com plena confiança, hoje te pedimos. Amém!
Quem receber alguma graça de Deus por intercessão do Servo de Deus, Cardeal Marco Antonio Barbarigo, favor comunicar, por escrito, ao:

Pontifício Instituto das Mestras Pias Filippini
Rua Mestras Pias Filippini, nº 513, Bairro Freguesia do Ó, São Paulo, SP
CEP 02736-010
Fone: (11) 3975-1613