O Colégio

Santa-Lucia-Filippini-Cordeal-Marco-Antonio

Pastor zeloso, verdadeiro mestre e protetor do seu povo, investiu pela causa do reino o mais rico capital dos seus dotes humanos e espirituais, dilatando, excessivamente, os espaços da sua caridade. Apresentou um papel de destaque no processo empreendedor e dinâmico, fundando, junto à Santa Lúcia Filippini, o Instituto das Mestras Pias Filippini. Confiou-lhe o trabalho das escolas para a educação cristã dos filhos do povo.

Instituiu seminários para a formação do Clero e, em Montefiascone, fundou também a Congregação do Divino Amor. Com as suas obras, o Cordeal Barbarigo antecipou séculos de história.

Santa-Lucia-Filippini

Nasceu em Tarquínia (Viterbo), Itália, no dia 13 de janeiro de 1672.

Por intermédio do Cordeal Marco Antonio Barbarigo, completou sua formação cultural e espiritual no Ministério de Santa Clara, em Montefiascone, onde o mesmo fundou a Escola da Doutrina Cristã.

Aos 20 anos, Santa Lúcia Filippini assumiu a direção e recebeu do Cardeal o mandato de guiar o instituto que nascia. Após consumir sua vida na doação radical a Deus, às meninas necessitadas e às suas coirmãs, Lúcia faleceu no dia 25 de março de 1732, deixando às suas filhas, Mestras Pias Filippini, o legado de prosseguir com seu carisma da Educação e das Obras Sociais, por meio dos valores evangélicos e espirituais.

Fundação-Colégio-Santa-Lucia-Filippini

Fundada em 1692 pelo Cardeal Marco Antonio Barbarigo e Santa Lúcia Filippini, na diocese de Montefiascone, na Itália, nossa Instituição traz, como principal objetivo, a “Educação Cristã da Juventude” realizada nas escolas e considerado pelos fundadores, lugar privilegiado e ambiente mais apropriado para a formação integral do ser humano.

Após a morte dos fundadores, as Mestras Pias continuaram a obra de formação e evangelização da criança, do jovem e da mulher na Itália, expandindo-se dois séculos depois para os Estados Unidos, Inglaterra, Brasil, Etiópia, Eritréia, Índia e Albânia. A fundação brasileira ocorreu no dia 02 de março de 1962, quando Madre Ninetta Jonata, superiora geral na época, enviou ao Brasil as cinco primeiras Mestras Pias Filippini, para o bairro de Itaberaba, em São Paulo, atendendo ao apelo do Papa João XIII, às Superioras Gerais das diversas Congregações em Roma – “Ajudai-me a salvar a fé na América Latina”.

Em 1963, o padre Achilles Silvestre, primeiro vigário da Paróquia Santa Cruz de Itaberaba, confiou às Mestras Pias a antiga Escola Paroquial Santa Cruz. Já no dia 03 de março de 1964, as atividades escolares passaram a funcionar na propriedade das Irmãs.

Foram matriculados 86 alunos, formando duas classes de primeira série ginasial. Estando o prédio do Ginásio Santa Lúcia Filippini (como era chamado na época) ainda em construção, uma classe funcionava no salão e a outra na garagem da casa das Irmãs. A primeira diretora do Colégio foi a Ir. Mary Patty (americana), que permaneceu até o final de 1970, quando entrou a Ir. Therezinha Salgado em seu lugar.

Hoje, no Brasil, nossa Congregação encontra-se na cidade de São Paulo, em Miracatu (no Vale do Ribeira), em Peruíbe/SP e em Vilhena, no estado de Rondônia.

Proposta Pedagógica

Aprendizado significativo e preparo acadêmico para a vida

Desde 1962, com a chegada das Irmãs Mestras Pias Filippini ao Brasil, o Colégio Santa Lúcia Filippini vem preocupado em transmitir às crianças, adolescentes e jovens uma formação cultural e sólida, priorizando os valores cristãos. Portanto, a Educação Filippini, respeitando as potencialidades e habilidades particulares de cada estudante, preza o aprimoramento de seus talentos, sendo eles aprender a conhecer, a viver junto, a fazer e a ser.

Com o objetivo de trabalhar com crianças, adolescentes e jovens, desenvolvendo uma formação que evidencia os valores cristãos e a educação integral do ser humano, o Colégio Santa Lúcia Filippini tem como princípios uma educação que possibilite aos alunos aprender a conhecer, aprender a ser, respeitando a si e ao outro, aprimorando suas habilidades e talentos.

Assim, a Educação Filippini opta pela criação de vínculos cujo resultado visa desenvolver um trabalho educativo integrado com a família e voltado aos princípios cristãos em todas as suas atividades, possibilitando não só o diálogo mútuo, mas promovendo também a motivação e formação do aluno, dos anos iniciais de sua vida até o Ensino Médio.

Educação Filippini

A Educação Filippini está alicerçada na abordagem educativa de Santa Lúcia Filippini, fundadora do Instituto de Educação e Assistência Lúcia Filippini, pautada na educação da juventude e da promoção humana, social e cristã. A proposta do Colégio guiada no conceito sociointeracionista:

“O ser humano só adquire cultura, linguagem e desenvolve raciocínio se estiver inserido no meio com os outros. A criança só vai desenvolver historicamente se inserida no meio social”. (Vigotsky)

Sendo assim, o conhecimento se constrói por meio da afetividade e da interação com o outro, proporcionando ao educando um aprendizado significativo. O educador assume o papel de mediador, auxiliando no processo de sistematização, problematização, pesquisa e registro, dando sustentação ao processo de ensino e aprendizagem.

Objetivo geral do Colégio

O Colégio Santa Lúcia Filippini tem como objetivo trabalhar com crianças, adolescentes e jovens, desenvolvendo uma formação cultural e social, que priorize os valores cristãos e a educação integral do ser humano, possibilitando ao aluno aprender a conhecer, aprender a ser, respeitando a si e ao outro, aprimorando suas habilidades e talentos.